segunda-feira, 15 de junho de 2015

FLOTAÇÃO POR AR DISSOLVIDO

("Texto enviado pela Representante Beta EQ, Samantha Caram")

A flotação é um processo de separação de partículas suspensas ou materiais graxos ou oleosos de uma fase líquida, sendo via adesão de bolhas de gás, geralmente o ar, com a partícula. Essa combinação resulta num agregado, cuja densidade é menor que a do líquido e, portanto, sobe à superfície do mesmo, formando uma fase de espuma, podendo ser coletada em uma operação de raspagem superficial.

Existe uma variedade de técnicas para introduzir as bolhas de ar necessárias para a separação sólido-líquido por flotação, e hoje falaremos sobre a flotação por ar dissolvido, que é reconhecida por ser um dos métodos mais econômicos efetivos de recuperação e remoção de sólidos, íons, microrganismo, redução da DQO (demanda química de oxigênio) e DBO (demanda bioquímica de oxigênio) e espessamento de lodo no tratamento de efluentes domésticos. O processo é realizado a partir da geração e introdução das bolhas no líquido por redução brusca de pressão e a dissolução do ar na água depende da temperatura e da pressão.

Na flotação por ar dissolvido, as bolhas são produzidas pela supersaturação do líquido, com o ar, podendo ser efetuada a vácuo ou a pressão. No caso da flotação a vácuo por ar dissolvido, ou simplesmente flotação a vácuo, o líquido é saturado com ar, à pressão atmosférica e, em seguida, é aplicado vácuo ao líquido, quando são formadas as bolhas de ar.

Na flotação por ar dissolvido por pressurização, ou simplesmente flotação por ar dissolvido (FAD), o ar é injetado na entrada de uma câmara de saturação, enquanto o líquido se encontra sob pressão. No interior dessa câmara ocorre a dissolução de ar na massa líquida pressurizada, sendo, em seguida, o líquido exposto a condições atmosféricas. A redução brusca de pressão provoca o desprendimento do ar na forma de minúsculas bolhas, que aderem às partículas em suspensão, flutuando à superfície. A flotação por ar dissolvido (FAD) permite maior flexibilidade ao processo, porque pode utilizar uma faixa de pressão maior, possibilitando um controle mais eficiente da quantidade de ar desprendido que, aliado ao pequeno tamanho das bolhas, constitui a principal vantagem no tratamento de efluentes.


A unidade de bancada para flotação por ar dissolvido é mostrada na figura abaixo, onde (1) é o vaso saturador; (2) é um agitador mecânico, para auxiliar na floculação e manter a homogeneidade da suspensão; (3) é a cuba de flotação e (4) é o medidor de pH, para controlar as condições de floculação. Essa unidade pode saturar 4,5 L de água e a cuba de flotação pode tratar 4,0 L de rejeito por batelada.

Fonte:
Programa de pesquisa em saneamento básico – PROSAB. http://www.finep.gov.br/prosab/. Título – Tratamento de efluentes de reatores anaeróbios por sistemas de flotação.

ARRUDA, F. “Utilização da flotação por ar dissolvido na recuperação de água da indústria mineral.”2003 – Iniciação Científica.  Centro de Tecnologia Mineral – CETEM. (http://www.cetem.gov.br/publicacao/serie_anais_XI_jic_2003/09_Fernanda_Arruda_JIC_2003.pdf

Nenhum comentário:

Postar um comentário